abril 30, 2008

Boca

video

Nunca vi igual!!!

abril 29, 2008

Espinhudinhos

Image Hosted by ImageShack.us

Alguem, poderia me dizer o nome destas pequenas criaturas!!

abril 28, 2008

Ronaldo Fenomeno com travestis

O travesti acusou Ronaldo de envolvimento com drogas e publicou um vídeo no "youtube" para comprovar a identidade do jogador, feito pela camera do celular.

No vídeo, é possível ver o atacante, vestindo a camisa do Flamengo, e ouvir a voz de André dizendo "para provar que é você".

O Delegado e o mesmo que atuou no caso da empregada domestica Sirlene em Julho do ano passado.


Image Hosted by ImageShack.us

O travesti com os documentos do carro do Ronaldo, mas ela tem cara de travesti sim ou o Ronaldo ta cego.

O final de semana de Ronaldo Fenômeno foi conturbado.

O jogador, que curte férias no Rio de Janeiro, ao lado da namorada Bia Antony, se envolveu numa encrenca que o levou à delegacia da Barra da Tijuca, na manhã desta segunda-feira (28).

Após uma confusão no Motel Papillon, na Barra da Tijuca, o jogador, uma prostituta e dois travestis foram parar na 16ª DP, zona oeste carioca.

O delegado Carlos Augusto Nogueira contou, em entrevista à imprensa na DP, que Ronaldo deu a seguinte versão para o caso: após assistir ao jogo do Flamengo, na noite de domingo (27), o craque decidiu se divertir um pouco, indo para a Boate 021, na Barra.

No caminho, ainda segundo o depoimento dele, pegou uma prostituta no calçadão da praia.

Em seguida, foi com ela para o Papillon. Chegando ao local, a prostituta disse que chamaria mais duas amigas para o programa.

Quando chegaram, Ronaldo viu tratar-se de travestis.

Ele então reagiu, avisando que não era a dele. Os travestis teriam chegado a dizer que iam pegar cocaína na Cidade de Deus e, assim, Ronaldo não sentiria a diferença.

Daí, veio a discussão.Ronaldo decidiu pagar R$ 1 mil a cada um para livrar-se deles. Porém, um dos travestis teria pedido R$ 50 mil, para não levar o caso à imprensa.

Ronaldo disse que não daria, oferecendo mais US$ 600 apenas.

O travesti não teria aceitado, e começou uma nova discussão. Na confusão, o pessoal do hotel chamou a polícia, que levou todo mundo para a delegacia.

Já a versão dada na delegacia pelo travesti André Luis Ribeiro, conhecido na noite como Andréa Albertini, é de que Ronaldo teria se divertido com ele, na madrugada desta segunda-feira, mas o jogador não quis pagar.

Em conversa com jornalistas,o delegado Carlos Nogueira garantiu que Ronaldo não estava alterado, ao chegar à delegacia:

"Não quero proteger ninguém, não conheço o Ronaldo (pessoalmente), mas ele não tinha aparência de que estava sequer alcoolizado".

Ao deixar a delegacia, o craque não quis falar sobre o assunto. A assessoria dele também não comenta o caso, e diz que irá avaliar a contração de um advogado.

Ronaldo, segundo dizem, teria ido se refugiar do escândalo em Angra dos Reis, litoral carioca , a bordo de um helicóptero.

Segundo o delegado, Ronaldo contratou o travesti pensando que era garota de programa e levou para um motel na Barra da Tijuca. Lá, teria pedido mais duas "amigas" para o programa.

Quando descobriu que eram travestis, e que um deles teria ido buscar drogas na favela Cidade de Deus, o atacante teria decidido não mais fazer o programa e deu R$ 1.000 para dois travestis.

O outro, que seria Andréa Albertine, não quis e pediu R$ 50 mil para não contar a história para imprensa.

Ronaldo teria ficado revoltado com a tentativa de extorsão e, após um escândalo do travesti na porta do motel, a polícia foi chamada.

De acordo com o delegado, o atacante foi sozinho à DP prestar depoimento de manhã.

Carlos Augusto Nogueira diz acreditar mais na versão do jogador:

O Fuxico

O Ronaldo, diz estar namorando para casar e ter filhos a Bia Antony, que vergonha ela deve estar sentindo, vendo o namorado numa enrasgada desta.

Esta historia ta mal contada pelo Ronaldo, sei nao!

abril 27, 2008

"Abre aspas" um dia para a poesia

A poesia não se entrega a quem a define.
Mario Quintana



"Abre aspas" blogabem coletiva, 28.04.

Iniciativa da Lunna do blog Acqua, e apoio da Le, blog Leticia Coelho.

Um dia dedicado a poesia e valorizacao dos poetas, postando uma poesia de nossa preferencia e pequeno comentario sobre a vida dele.

Meus poetas preferidos:

(nao necessariamente nesta ordem)


  • J.G. de Araujo Jorge
  • Cora Coralina
  • Mario Quintana
  • Carlos Drummond de Andrade

Image Hosted by ImageShack.us

Um pouco sobre o poeta


Nasceu em 20 de maio de 1914, na Vila de Tarauacá, Estado do Acre. Filho de Salvador Augusto de Araújo Jorge e Zilda Tinoco de Araujo Jorge.

Foi conhecido como o Poeta do Povo e da Mocidade, pela sua mensagem social e política e por sua obra lírica, impregnada de romantismo moderno, as às vezes, dramático.

Foi um dos poetas mais lidos, e talvez por isto mesmo, o mais combatido do Brasil.

Faleceu em 27 de Janeiro de 1987.

Saiba mais sobre Jose Guilherme de Araujo Jorge AQUI

Quem quiser participar, ainda ha tempo e so avisar a Lunna no blog dela.

Image Hosted by ImageShack.us


abril 26, 2008

Caso Isabela - Revista Veja

Revista VEJA - Ainda mais acuados

Revelação do horário em que a família chegou em casa no dia do crime complica situação do pai e da madrasta de Isabella

Nardoni e Anna Carolina, em entrevista ao Fantástico: a defesa faz o que pode Marcelo Carneiro

Uma informação revelada pela polícia na semana passada complicou ainda mais a defesa do casal Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, indiciados pelo homicídio da menina Isabella Nardoni, de 5 anos. Por meio de um rastreador que Nardoni havia instalado em seu carro, investigadores conseguiram descobrir que, na noite do crime, ele chegou com a família ao prédio onde mora, em São Paulo, precisamente às 23h36. Esse tipo de aparelho, útil em casos de roubo e seqüestro, emite sinais via satélite para uma central de operações que, com isso, consegue monitorar todos os movimentos do veículo e saber, inclusive, a que horas ele foi ligado e desligado. Só que, quando chegou para prestar seu segundo depoimento à polícia, no último dia 18, Nardoni não sabia que os investigadores estavam de posse dessa informação – fornecida pela central de operações à qual o rastreador está conectado. Ao ser inteirado, tentou mudar um dado que constava de seu primeiro depoimento, prestado logo após a morte de Isabella, e que o comprometia: o de que a filha havia ficado sozinha no apartamento por apenas quatro minutos – tempo exíguo demais para que um suposto invasor (que a defesa alega existir) asfixiasse a menina, cortasse a rede de proteção da janela, atirasse Isabella pelo buraco e saísse do apartamento sem deixar vestígios. Nesse segundo depoimento, ao ajeitar a versão, Nardoni afirmou que Isabella teria ficado sozinha por dezenove minutos e não mais quatro. Ocorre que isso também é impossível, já que, entre o horário de chegada da família revelado pelo rastreador (23h36) e o instante em que um vizinho telefonou para o resgate depois de ser avisado da queda de Isabella (23h49), passaram-se apenas treze minutos. Ao ser informado de que a conta não fechava, Nardoni tentou, novamente, retificar a informação. Saiu da delegacia ainda mais suspeito do que quando entrou.

Graças aos profissionais experientes e equipamentos de ponta da área técnico-científica da polícia paulista, foram reunidos dados que permitiram formar a convicção de que Nardoni e Anna Carolina são os assassinos de Isabella. Já os responsáveis pela área de comunicação da instituição não vêm apresentando um desempenho à altura de suas atribuições. Pressionados pela imprensa, delegados e investigadores andaram divulgando boatos e meras hipóteses como se fossem informações verdadeiras. Alguns equívocos que resultaram desse comportamento:

• Dois investigadores ouvidos por VEJA relataram que, horas antes de sua morte, Isabella teria recebido um safanão de Nardoni, durante uma festa no salão do prédio onde moram os pais de Anna Carolina. Essa festa não ocorreu e as investigações não confirmam se Nardoni repreendeu ou agrediu a filha antes do crime.

• Noticiou-se que não havia manchas de sangue no carro. A perícia, porém, constatou que existiam, sim, tais vestígios.

• A polícia afirmou que o casal teria usado uma fralda e uma toalha para estancar o sangue que escorria da testa da menina. Agora, informa que a toalha não existe.

• Policiais disseram que havia uma marca de sangue na sola do sapato de Anna Carolina. Não havia.


Investigações de homicídios como o de Isabella são mesmo complexas e, até que sejam concluídas, estão sujeitas a versões contraditórias. Podem ainda encerrar dúvidas que jamais serão esclarecidas, como a que gira em torno do momento em que Isabella foi asfixiada. Como os peritos envolvidos no inquérito, especialistas entrevistados por VEJA não entraram em consenso em relação a esse detalhe. "É mais provável que ela tenha sido esganada no carro, já que não haveria tempo para alguém asfixiá-la no apartamento e fazer tudo o que se sabe que foi feito lá", diz Marcelo de Oliveira, especialista em química forense e professor da USP de Ribeirão Preto. Já Roger Ancillotti, professor de perícia criminal e medicina legal da Universidade Castelo Branco, é de opinião contrária: "Isabella não teria sido encontrada com vida se tivesse sido asfixiada ainda no carro". No entanto, mais do que pontos obscuros como esse, são precipitações processuais e o desencontro de versões sobre aspectos fundamentais do caso que ajudam a municiar a defesa.

Embora acuados por revelações como a do tempo exíguo entre a chegada do casal ao prédio e o primeiro telefonema para o resgate, os advogados de Nardoni e Anna Carolina exploram com habilidade as brechas que surgem. Uma delas é o fato de o casal ter sido interrogado sem que os laudos da perícia fossem anexados ao inquérito – o que, como afirma o criminalista Tales Castelo Branco, não é ilegal, "mas não é tampouco recomendável". Outra boa jogada da defesa foi a entrevista exclusiva que o casal deu ao programa Fantástico, da Rede Globo, para tentar melhorar sua imagem. Os advogados cumprem o seu papel, mas se espera que o relatório final da polícia, a ser entregue ao Ministério Público nesta semana, depois da reconstituição do crime, seja cuidadoso o suficiente para evitar que se lance uma cortina de fumaça sobre a brutalidade que ceifou a vida da pequena Isabella.


Recebi da Carla Campos

Tecnologia contra o crime

Revista ISTO É: Tecnologia contra o crime
O caso Isabella revela o que há de mais moderno em investigação

Por LEOLELI CAMARGO


PRECISÃO O perito Adilson Pereira com o aparelho crimescope

É um erro capital teorizar antes de ter a evidência, escreveu Sir Arthur Conan Doyle em Um estudo em vermelho, a primeira aventura do detetive inglês Sherlock Holmes. É com o mesmo rigor que a equipe de peritos a auxiliar na investigação do assassinato de Isabella Nardoni espera esclarecer o crime. Mas a polícia científica não irá apenas apresentar à Justiça provas para desvendar o ocorrido nos minutos anteriores à queda da menina do sexto andar do prédio onde vivia a família Nardoni. Acompanhada de perto pela imprensa, a atuação dos técnicos do Instituto de Criminalística de São Paulo está mostrando a evolução dos meios disponíveis para detectar, coletar e analisar as evidências materiais de um crime.

Entre o que surgiu ou foi aprimorado nos últimos 20 anos (leia quadro) está um arsenal que vem melhorando e acelerando o trabalho da perícia em crimes de difícil solução. “Isso é um reflexo da demanda da Justiça por provas cada vez mais precisas”, diz Roberto Augusto de Carvalho Campos, professor de direito penal, medicina forense e criminologia da Universidade de São Paulo (USP). Se todos esses meios existissem há duas décadas, o desfecho de outro crime de projeção nacional talvez tivesse sido diferente. Conhecido como “o crime da rua Cuba”, o assassinato do advogado Jorge Toufic Bouchabki e de sua mulher, Maria Cecília Delmanto Bouchabki, em 1988, segue sem solução. Os dois foram mortos a tiros e os corpos encontrados na cama do casal. Na época, as suspeitas recaíram sobre o filho mais velho da família, Jorge Delmanto Bouchabki, então com 18 anos. O rapaz foi denunciado pelo Ministério Público como o autor do crime, mas o processo foi arquivado por falta de provas. “Na ocasião falou-se que a cena havia sido alterada. Se isso ocorreu, por mais meios que tivessem os peritos, a investigação ficou comprometida”, observa o legista Carlos Alberto Souza Coelho, diretor do Instituto Médico Legal de São Paulo.

A observação faz eco em toda a categoria. A preservação do local onde ocorreu uma morte violenta é a principal medida a ser tomada se já não há feridos para socorrer. E se no seriado americano CSI, que trata dessas investigações, os peritos vivem pedindo para ninguém mexer na cena do crime, no Brasil a situação é igual. “O problema é o tempo entre o fato e a chegada da polícia. As pessoas entram no local e deixam vestígios que não pertencem à cena”, diz Celso Perioli, coordenador da Superintendência da Polícia Técnico- Científica de São Paulo.

No caso da rua Cuba, a arma utilizada pelo assassino, um revólver calibre 32, nunca foi encontrada. Hoje, um sistema informatizado que reúne imagens e dados sobre armas, cartuchos e projéteis envolvidos em crimes teria auxiliado nas investigações. Trata-se do Ibis – Sistema Integrado de Identificação Balística. Alimentado com imagens das marcas deixadas em cartuchos e projéteis coletados em crimes, ele ajuda a identificar de quais armas eles foram disparados. Rio de Janeiro, Bahia e Espírito Santo já têm o sistema, que, apesar de eficiente, é caro e de difícil manutenção.

Além do Ibis, o Brasil tem outro moderno instrumento de combate ao crime. Desde 2004 a Polícia Federal usa o Afis – Sistema Automatizado de Identificações de Impressões Digitais – para comparar as digitais colhidas no local do crime com as registradas em um banco de dados de criminosos. “Se ele indica compatibilidade, elas ainda são analisadas por um especialista”, afirma Adilson Pereira, diretor do Núcleo de Física do Instituto de Criminalística de São Paulo. O objetivo é tornar a evidência irrefutável diante da Justiça. No caso Isabella, a intenção é a mesma. Após a reconstituição do crime, tudo indica que o elenco de provas apresentadas pelos peritos que esquadrinharam o apartamento dos Nardoni será robusto e bem fundamentado. No melhor estilo CSI.

Recebi da Carla Campos

Carambola



Cidade faz campanha para moradores nao comerem carambola


Uma lei aprovada por unanimidade no dia 19 de março de 2008 pela Câmara Municipal de Jaú, a 296 km da capital paulista, obriga os estabelecimentos de saúde da cidade a afixar cartazes orientando os moradores com insuficiência renal a não comerem carambola.

O suco, doce ou polpa da fruta podem levar à morte, devido à neurotoxina produzida que atinge os neurônios em concentração maior.

O autor do projeto é o vereador José Mineiro de Camargo. Ele diz que ouviu falar dos riscos da fruta e foi pesquisar.

A explicação de especialistas é que a carambola possui alto teor de uma neurotoxina que age diretamente no sistema nervoso central, mas só oferece perigo para quem tem problemas renais, podendo provocar soluções, convulsões e até a morte.

A médica nefrologista Teresa Faifer explica que as neurotoxinas são substâncias produzidas naturalmente pela fruta para afastar os insetos, mas no corpo humano efeito pode ser devastador.

O artigo 1º da lei número 4.152 diz:

“Ficam os hospitais, postos de atendimento de saúde, ambulatórios e demais estabelecimentos de saúde, públicos ou privados, do município de Jaú, obrigados a manter afixados em local visível cartaz com medida mínima de 40 centímetros na horizontal e 20 centímetros na vertical, com os seguintes dizeres:

Pacientes com insuficiência renal estão proibidos de comerem o fruto, ou o doce, ou ingerirem o suco da carambola, seja qual for o grau da insuficiência, pois a fruta produz neurotoxina que concentra-se no sangue, atinge os neurônios em concentração maior e provoca soluços, convulsões, podendo levar até a morte. Portanto, não comam.

O desejo do vereador José Mineiro de Camargo é que a determinação passe a valer em todo país.

Portal da Globo

abril 25, 2008

Carteira de motorista



Anna Variani, de 97 anos, renovou nesta sexta-feira (25) a carteira nacional de habilitação.

A moradora de Bento Gonçalves (RS) é conhecida na cidade por dirigir um fusca e prestar assistência social.

Anna afirma, porém, que agora só dirigirá em caso de emergência

UOL

abril 24, 2008

Olha a cobra

Dei boas gargalhadas.

A van e um baita coracao de mae.

Recebi da Su

Sono



Insônia, dificuldades em iniciar o sono, interrupção e despertar durante a noite.

Quem enfrenta madrugadas assim sabe bem das conseqüências no dia seguinte.

A explicação para a indisposição, mau humor ou mesmo problemas mais sérios de saúde, é certa:

E que o sono renova as células e as noites insones têm efeito contrário.

O sono tem uma função bem definida. "Dormir bem recupera no organismo o bem-estar, as funções cognitivas, o sistema hormonal e imunológico, entre outros", diz o neurologista Luciano Ribeiro Pinto, do Instituto do Sono da Universidade Federal de São Paulo.

De acordo com o neurologista, estresse, ansiedade, depressão, problemas financeiros, familiares ou profissionais estão diretamente relacionados à qualidade do sono.

Segundo Geraldo Vieira Rizzo, neurologista especializado em Medicina do Sono, não existe um tempo obrigatório para adormecer, pois a necessidade é individual.

"Existem pessoas que necessitam de mais horas de sono do que outras. Entretanto, a média da população em geral é de 6 a 8 horas de sono para que conservem suas energias", afirma.

Confira, abaixo, as sugestões de Rizzo que podem garantir uma boa noite de sono.

Com disciplina, você vai sentir os resultados.

1. Mantenha horários regulares para deitar e levantar.
2. Deixe as preocupações longe da cama.
3. Evite bebidas alcóolicas.
4. Evite remédios para dormir sem ter uma prescrição (receita médica).
5. Evite exercícios físicos em horários próximos ao de deitar.
6. Evite dormir com fome ou sede.
7. Procure um ambiente para dormir sem luminosidade, ruído ou temperaturas desagradáveis.
8. Use a cama apenas para sono e sexo (não leia, estude, coma e etc.).
9. Evite fumar.
10. Vá para cama com sono e saia da cama se estiver sem sono.
11. À noite, faça refeições leves.
12. Evite bebidas que contenham cafeína (café, refrigerantes, chá preto, chimarrão, achocolatados) após as 15 horas.

Mais de 50

abril 23, 2008

Dia da Terra

Mesmo atrasada, nao posso deixar de participar e contribuir.

Somente hoje pela manha, tomei conhecimento desta blogagem.

Saibam mais Aqui

abril 22, 2008

abril 21, 2008

D.O.M

A colocacao deste restaurante e muito importante para mim e familia, pois meu filho o "Chef Henrique" faz parte da cozinha do D.O.M, desde Agosto de 2007, entrou como estagiario nao remunerado, e gracas ao seu empenho e esforco, hoje integra o quadro de funcionarios, gracas a Deus.

Motivo de orgulho para mim.


Alex Atala comanda o restaurante

Restaurante em SP é eleito o 40º melhor do mundo por revista e entre os 50 melhores do mundo

O restaurante D.O.M., localizado na cidade de São Paulo, foi eleito o 40º melhor do mundo pela revista inglesa "Restaurant", que nesta segunda-feira (21) entregou seus prêmios S. Pellegrino.

O estabelecimento paulistano, comandado por Alex Atala, é o único da América Latina que aparece no ranking de 50 melhores do planeta que a publicação divulga anualmente desde 2002.

No entanto, em relação a 2007, o D.O.M. caiu duas posições na lista.

Já o restaurante considerado o melhor do mundo foi, pelo terceiro ano consecutivo, o espanhol El Bulli, do famoso chef Ferrán Adrià.
Em segundo na lista ficou o britânico The Fat Duck, que fica em Berkshire (na zona oeste de Londres) e tem como dono Heston Blumenthal.
Por sua vez, o parisiense "Pierre Gagnaire", do chef de mesmo nome, alcançou o terceiro lugar.

França lidera
No ranking por países, a França aparece em primeiro, com 10 restaurantes entre os 50 melhores. Logo atrás, ficaram Estados Unidos, com oito, e Espanha, com sete.


A escolha dos melhores restaurantes do mundo foi feita por um júri internacional integrado por 700 chefs, restaurateurs e críticos especializados, 200 dos quais votaram pela primeira vez este ano.

Os leitores da revista "Restaurant", fundada em 2001, também puderam votar.

Portal da Globo

Saiba mais sobre o D.OM. Restaurante Aqui


O Chef Henrique


Concentrado


Palacio das Laranjeiras-RJ

O D.O.M, foi responsavel pelo buffet do aniversario do Governador do RJ, Sergio Cabral.

Foi o Alex Atala, e mais 3 chef's, e meu filho foi um deles.

O presidente Lula, e primeira dama, tambem estiveram no evento.

abril 20, 2008

Caso Isabela - Especial Veja

Especial VEJA: Frios e dissimulados

Pai e madrasta mataram Isabella, numa seqüência de agressões que começou ainda no carro, conclui a polícia

Juliana Linhares

Montagem sobre ilustração Davi Calil e reprodução

INDICIADOS
Os resultados da perícia mostram que Nardoni jogou Isabella pela janela minutos depois de Anna Carolina, madrasta da menina, tê-la asfixiado

O "monstro" que matou a menina Isabella e que seu pai, Alexandre Nardoni, em carta divulgada à imprensa, prometeu não sossegar até encontrar estava, afinal, diante do espelho. E a mulher, que também em carta afirmou ser a criança "tudo" na sua vida, ajudou a matá-la com as próprias mãos. Tal é a conclusão a que chegaram os responsáveis pelo inquérito policial que apura o assassinato de Isabella Nardoni, de 5 anos, ocorrido no dia 29 de março. A polícia está convencida de que Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá combinaram jogar Isabella pela janela na tentativa de encobrir o que supunham já ser um assassinato. Para os investigadores, Anna Carolina Jatobá asfixiou Isabella ainda no carro, no trajeto entre a casa dos pais dela e o apartamento da família. A menina ficou inconsciente e o casal achou que ela estava morta. Na sexta-feira, vinte dias depois da morte de Isabella, Nardoni e Anna Carolina foram indiciados por homicídio doloso e co-autoria de homicídio. A investigação que culminou no indiciamento do casal foi realizada por investigadores do 9º Distrito Policial de São Paulo. Ela não ficou a cargo da Delegacia de Homicídios porque se achou por bem manter no caso os policiais que a iniciaram. Com isso, ganhou-se em precisão. "Fizemos um trabalho sem pressa e sem pressão, privilegiando o aspecto técnico do caso", diz o delegado Aldo Galiano, diretor do Departamento de Polícia Judiciária da Capital (Decap).

Filipe Araujo/AE

"ASSASSINOS!"
Sob gritos e xingamentos da multidão, Anna Carolina e Nardoni saem para depor

Não se sabe ainda o que motivou o crime, mas é certo que a brutalidade a que Isabella foi submetida no dia de sua morte teve início mais cedo do que se pensava até agora. Por volta das 21 horas do dia 29 de março, poucas horas depois de Nardoni e a mulher, aparentemente tranqüilos, terem sido filmados com os filhos fazendo compras em um supermercado de Guarulhos, a família compareceu a uma festa no salão do prédio onde moram os pais de Anna Carolina. Isabella correu e brincou na companhia de outras crianças, conforme imagens registradas por uma das dezesseis câmeras instaladas no edifício. Em determinado momento, como disseram à polícia testemunhas presentes à festa, a menina fez algo que enfureceu o pai. Nardoni, então, gritou com ela e lhe deu um safanão. Isabella caiu no chão e começou a chorar. Nesse momento, Nardoni, segundo as testemunhas ouvidas pela investigação, disse à filha: "Você vai ver quando chegar em casa". A ameaça começou a ser cumprida já no carro. No assoalho e no banco de trás do Ford Ka de Nardoni, a polícia encontrou marcas de sangue compatíveis com o de Isabella. Segundo os investigadores e os peritos, ela foi espancada e asfixiada pela madrasta no interior do veículo. Como sangrava ao chegar ao prédio, o casal usou uma fralda de pano para embrulhar e levar a menina desacordada até o apartamento, evitando, assim, que o sangue pingasse no chão da garagem e do elevador. No apartamento, o casal discutiu sobre o que fazer com Isabella. Por acreditarem que ela estava morta, ambos chegaram à decisão de simular um assassinato cometido por um invasor. O rosto sujo de sangue da menina foi limpo com uma toalha. Nardoni, então, cortou a tela de proteção da janela de um dos quartos e arremessou a filha para a morte. Quando foi lançada, Isabella estava viva, em estado de letargia por causa da asfixia sofrida no carro. Em seguida, o casal deu início a seu espetáculo de frieza e dissimulação.

Marcelo Liso

ESCOLTA
Sete carros policiais acompanharam o casal à delegacia

Alexandre Nardoni, de 29 anos, sempre teve uma vida confortável. Quando era estudante de faculdade, tinha um Vectra último modelo, comprado pelo pai, e uma moto esportiva Honda CBR 900 RR (hoje avaliada em 60 000 reais). Era dono de uma concessionária de motos e fazia estágio no escritório do pai, o advogado tributarista Antonio Nardoni. Apesar de ter se formado em direito em 2006 pelas Faculdades Integradas de Guarulhos, Nardoni ainda está impedido de exercer a advocacia, já que fracassou nas três tentativas de passar no exame da OAB: em abril e em agosto de 2007 e em janeiro deste ano. Em todas as ocasiões, foi reprovado ainda na primeira fase das provas. Nardoni se apresentava como "consultor jurídico" e dizia trabalhar no escritório de Antonio Nardoni, localizado no bairro de Santana, Zona Norte de São Paulo. Mas tanto funcionários do prédio onde fica o escritório quanto um vizinho de porta do advogado afirmaram nunca ter visto Alexandre Nardoni por lá. Amigos dizem que o sustento do rapaz e de sua família ainda provinha do pai. O apartamento na Zona Norte de São Paulo em que Nardoni morava com a mulher e os dois filhos – com três quartos, piscina, sauna, quadra poliesportiva e sala de ginástica, avaliado em 250.000 reais – também foi presente de Antonio Nardoni.

Na época em que Alexandre Nardoni começou a namorar Ana Carolina Oliveira, a mãe de Isabella, tinha 21 anos de idade e fama de "filhinho de papai", como dizia, em tom jocoso, a mãe de Ana Carolina, Rosa Maria Cunha de Oliveira, que no princípio não aprovou o namorado da filha. Três anos depois, durante a gravidez de Ana Carolina, Nardoni entrou na faculdade e conheceu Anna Carolina Jatobá, com quem passou a manter um romance paralelo. Em depoimento à polícia, a mãe de Isabella afirmou que a relação com Nardoni terminou em 2003 porque ela "teve a certeza e a convicção" de que o namorado a estava traindo. Com a madrasta de Isabella, Nardoni sempre teve uma relação tumultuada. Amigos e vizinhos relatam episódios de ciúme e agressão entre os dois. Se Nardoni tinha fama de briguento, Anna Carolina é freqüentemente descrita como "esquentada". Algumas vezes, era ela quem começava a bater no marido, segundo afirmaram à polícia vizinhos do prédio em que o casal morou antes de se mudar para o edifício em que Isabella morreu. Anna Carolina, ela própria, não vinha de uma família que se poderia chamar de harmoniosa. O pai, Alexandre Jatobá, responde a nove processos na Justiça (a maioria por não pagamento de dívidas e um por furto de energia). Em duas ocasiões, em 2004 e 2005, a própria Anna Carolina prestou queixa à polícia contra o pai por lesão corporal, injúria e ameaça. Um ex-empregado de uma loja de carros que Jatobá teve em Guarulhos descreve o ex-patrão como "um homem muito nervoso".

Reprodução/Futura Press e Tiago Queiroz/AE

AMOR INCONDICIONAL
Segundo Ana Carolina, mãe de Isabella, a menina tinha um "amor incondicional" pelo pai


Em depoimento à polícia, Ana Carolina Oliveira, a mãe de Isabella, disse que a filha nunca reclamou de maus-tratos por parte do pai ou da madrasta. Mas falou de dois episódios que sugerem que o casal, ao menos por duas vezes, maltratou seus dois filhos. Ambos teriam sido relatados a ela por Isabella. O primeiro dá conta de que Anna Carolina, em meio a uma discussão com o marido, motivada por ciúme, "jogou sobre a cama" o filho Cauã, de 11 meses, antes de partir para cima de Nardoni, furiosa. A criança teria começado a chorar e Isabella a acudiu. No outro episódio, Nardoni teria suspendido o filho mais velho, Pietro, de 3 anos, no ar e o soltado no chão, como forma de repreendê-lo por ter beliscado Isabella. Ainda que tenha presenciado esses episódios, Isabella não se sentia mal ao lado do pai e da madrasta. Mesmo pessoas ligadas à família de Ana Carolina Oliveira, mãe da menina, concordam que Isabella gostava do pai e da madrasta e afirmam que ela pedia para ser levada à casa deles. Isabella tinha especial afeição por Pietro, que estudava na mesma escola que ela.

Dois dias antes de Isabella morrer, a pedido dela, Pietro foi pela primeira vez à casa da irmã. Foi a avó materna da menina, Rosa Maria Cunha de Oliveira, quem contou o episódio a uma amiga. "Rosa disse que a Isa havia ficado muito feliz com a visita do irmãozinho", relata a amiga. Inicialmente, contou Rosa a ela, o pai da menina não queria permitir a visita, mas, diante da insistência de Isabella, concordou com o pedido e Pietro passou o dia na casa da irmã. Lá, sob a supervisão de Rosa, as duas crianças comeram pizza e brincaram. Isso aconteceu na quinta-feira. No sábado, Isabella foi morta. Pelo que foi possível reconstituir do crime até agora, a polícia acredita que Pietro assistiu a boa parte dos episódios que resultaram na morte da irmã. A delegada Renata Pontes, assistente no inquérito que investiga o caso, queria ouvir o menino, mas o Ministério Público foi contrário à idéia.

Rivaldo Gomes/Folha Imagem

O SILÊNCIO DOS NARDONI
O advogado Antonio Nardoni, pai de Alexandre, ao lado da filha Cristiane e uma amiga. Ele disse que entregaria o filho "se ele fosse culpado"

Ao longo do inquérito que investiga o assassinato de Isabella, a delegada Renata acabou ficando próxima de Ana Carolina Oliveira, que lhe telefona todas as noites para saber do andamento das investigações sobre a morte da filha. Nessas ligações, Ana Carolina, que poucas vezes foi vista chorando em público, cai freqüentemente em prantos. Sua mãe, Rosa, contou na semana passada à mesma amiga que chegou a sair de casa um dia desses por não suportar assistir ao sofrimento da filha, que chorava compulsivamente enquanto recolhia objetos de Isabella pela casa. "Ela disse que Ana Carolina apanhava coisa por coisa: até uma presilha da menina que estava caída na garagem", disse a amiga. Rosa contou ainda que se sente aflita pelo fato de Ana Carolina "não se abrir com os pais e os irmãos". "Ela disse que a filha não comenta o que está acontecendo ou o que está sentindo. Fala só de coisas do passado: lembranças de festas de aniversário de Isabella, dos momentos que elas passaram juntas."

Ana Carolina, que é bancária, já voltou a trabalhar. Por iniciativa da sua chefia, ela foi temporariamente afastada dos serviços de atendimento ao público e está incumbida de atividades administrativas. Entre 2004 e 2006, a mãe de Isabella estudou na Universidade Nove de Julho, onde se graduou no curso de formação específica em administração de recursos humanos. Durante o curso, além de trabalhar em empresas da área, ela vendia roupas e bijuterias para reforçar o orçamento. No início da manhã de sexta-feira, data em que Isabella completaria 6 anos de idade, Ana Carolina visitou o túmulo da filha pela primeira vez.

A polícia tenciona pedir a prisão preventiva de Nardoni e Anna Carolina. Se condenados ao final do processo, a morte de Isabella não será a única e aterradora culpa que carregarão. Eles são pais de duas crianças, cuja vida estará para sempre marcada pelas cenas a que elas – muito provavelmente – assistiram aterrorizadas.

O crime passo a passo

Ilustrações Davi Calil

FATO: Alexandre Nardoni e Anna Carolina Jatobá, acompanhados dos dois filhos e de Isabella, participaram de uma festa no prédio onde moram os pais de Anna Carolina, em Guarulhos. A comemoração se deu por volta das 21 horas no salão de festas. Em dado momento, Nardoni se enfureceu com o que seria uma má-criação de Isabella. Gritou com ela e lhe deu um safanão. A menina caiu no chão. Ainda nervoso, ele disse à filha chorosa: "Você vai ver quando chegar em casa"

EVIDÊNCIA: câmeras do prédio dos pais de Anna Carolina registraram imagens de Isabella brincando na festa. A agressão de Nardoni foi presenciada por convidados que prestaram depoimento à polícia

FATO: já no carro, de volta para casa, Nardoni e Anna Carolina começaram a espancar Isabella. A madrasta asfixiou-a a ponto de a menina desmaiar. Quando chegaram ao prédio, Isabella sangrava. O casal embrulhou a menina em uma fralda de pano para evitar que o sangue pingasse no trajeto até o apartamento

EVIDÊNCIA: a convicção de que Isabella já subiu ferida se deve ao fato de a perícia ter detectado marcas de sangue no carro de Nardoni. O DNA do sangue é o mesmo de Isabella. Também foram encontrados no carro fios de cabelo da menina com bulbos. Isso significa que ela teve os cabelos puxados com força. O tamanho das marcas no pescoço de Isabella é compatível com o das mãos de Anna Carolina. A polícia encontrou a fralda que foi usada para envolver a menina lavada e pendurada no varal do apartamento – mas ainda foi possível encontrar vestígios de sangue.

FATO: o casal entrou em casa com Isabella no colo de Nardoni. O sangue começou a pingar já no hall do apartamento

EVIDÊNCIA: a perícia detectou marcas de sangue de Isabella em vários lugares: no hall, na entrada do apartamento, no corredor, no quarto da menina e no quarto dos irmãos. Também havia sinais de sangue na sola do sapato de Anna Carolina

FATO: Anna Carolina e Nardoni iniciaram uma feroz discussão. Decidiram, então, simular um crime cometido por um suposto invasor. A polícia não encontrou indício nenhum da presença de um terceiro adulto no apartamento

EVIDÊNCIA: vizinhos relataram à polícia ter escutado gritos e palavrões proferidos por Anna Carolina

FATO: com uma faca e uma tesoura, Nardoni cortou a tela de proteção do quarto dos meninos. Antes disso, limpou com uma toalha, que depois foi lavada, o sangue que escorria de um corte na testa de Isabella

EVIDÊNCIA: a perícia encontrou resíduos de tela na roupa que Nardoni usava naquela noite e vestígios do sangue de Isabella na toalha lavada e pendurada no varal

FATO: Nardoni jogou a filha pela janela

EVIDÊNCIA: a perícia concluiu que é do seu chinelo a pegada encontrada no lençol da cama próxima à janela. Ele apoiou um dos pés na cama para lançar a filha. O buraco está a 1,60 metro de altura do chão, altura aproximada de Anna Carolina. A perícia concluiu que só alguém mais alto do que ela, como Nardoni, teria força suficiente para erguer Isabella, que pesava 25 quilos e media 1,13 metro de altura, até o buraco na tela

FATO: assim que Isabella caiu, Anna Carolina telefonou para o pai. Em seguida, Nardoni ligou para o seu e só então desceu para ver a filha caída

EVIDÊNCIA: os registros das ligações feitas pelo casal mostraram que não houve tentativa de pedir socorro médico. O resgate foi solicitado por vizinhos
FATO: Anna Carolina desceu em seguida, com seus dois filhos, e começou a gritar que o prédio não tinha segurança. Dirigiu palavrões a todos à sua volta e chamou o marido de "incompetente"

EVIDÊNCIA: vizinhos relataram a cena em depoimento à polícia
FATO: os bombeiros chegaram e tentaram reanimar Isabella. A menina foi declarada morta a caminho do hospital

Com reportagem de Naiara Magalhães, Adriana Dias Lopes, Kalleo Coura e Renata Moraes

video

Recebi da Carla Campos

abril 19, 2008

Lindo exemplo



Mae volta a estudar para incentivar o filho

Em uma sala do curso supletivo da Escola Américo Salles de Oliveira, em Jardinópolis, região de Ribeirão Preto (SP), a diarista Andréia Souza Alves, de 31 anos, e seu filho Leonardo, de 15, assistem às aulas juntos.

O menino havia parado de estudar por três anos.

Preocupada com más companhias e um possível envolvimento do filho mais velho com drogas, Andréia voltou a estudar em 2007.

Ela passava suas lições de casa para ele fazer até que, este ano, o menino decidiu voltar à escola.

O adolescente revela que se animou ao ver seus amigos estudando com a mãe. "Pego no pé dele em casa, mas na escola o deixo à vontade", garante Andréia.

Mas ela ainda precisou perturbar a direção da escola, pois não havia vaga.

Andréia estava disposta a ceder a sua ao filho, mas outra surgiu.

Quando tinha 15 anos e cursava a 6ª série, a diarista parou de estudar porque estava grávida de Leonardo.

Andréia, então, casou-se com Paulo José de Souza Santeiro, um empacotador de frutas, e teve outros dois filhos: Ana Luiza, de 12 anos, e Paulo Henrique, de 6 anos.

Para 2009 é provável que o marido de Andréia retome os estudos, também no supletivo, mas na 5ª série.

"Ele ficou com ciúmes, no começo, mas agora está se preparando para voltar a estudar", afirma Andréia

Estadao

Comunidade do orkut



Gostamos de reparar em nariz

Esta comunidade pertence a minha familia, adoramos reparar em nariz, mas temos nossos motivos kkkkk

A familia de meu ex marido e italiana, e as italianadas tem nariz horroroso, grosso e grande, uma batata, quando engravidei de meus 02 filhos, morria de medo deles nascerem com "aquele nariz" e nao e que nasceram kkkk.

Mas a Fernanda, teve o nariz modificado com o tempo e melhorou bastante, mas em crianca, coitadinha, era uma horror.

O Henrique, nasceu com o carimbo da familia, mas em pequeno mesmo melhorou, era lindo mesmo o nariz dele, so que na adolescencia o nariz despencou, a heranca estampou na face.

Entao, quando reunimos, e so para rir e contar, historias de nariz.


Una-se a nossa comunidade do orkut.

Se o seu caso eh nariz.

E vc nao resiste a tecer um comentario.Hummmm!!!

Pronto!!!Vc esta na comunidade certa.

Junte-se a nos!!

Se vc tem o nariz grande, feio, de abas largas ou grossas, curto, comprido, nariz de batata,com aquele bicao de papagaio... ou pode ser mesmo bonito, arrebitado, bem feito... nao se importe.

Vc faz parte daquela familia que todos tem o nariz avantajado e feio e nas reunioes familiares eh aquele fuah, um rindo e falando mal do nariz do outro.

Sim. Aqui e o seu novo ponto de encontro.

Fique a vontade!!!

Nos gostamos de reparar em nariz.

Clique abaixo e seja bem vindo.

Gostamos de reparar em nariz

abril 18, 2008

Analfabetismo

Se planejarmos por uma ano, devemos plantar cereais.
Se planejarmos por uma decada, devemos plantar uma arvore.
Se planejarmos para toda a vida, devemos treinar e educar pessoas.
(Kwantou Sec III-AC)



Image Hosted by ImageShack.us



O que fazer para acabar com o analfabetismo?

A queda de 29,1% na taxa de analfabetismo entre 1996 e 2006 não foi suficiente para tirar o Brasil do incômodo penúltimo lugar no ranking de alfabetização na América do Sul.

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgados nesta sexta-feira (28), o percentual de brasileiros que sabem ler e escrever é superior apenas ao da Bolívia, 11,7% em 2005.

Na comparação de dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios) com os da Cepal (Comissão Econômica para América Latina e Caribe) em 2005, o Brasil se saiu pior do que vizinhos de IDH (Índice de Desenvolvimento Humano) mais baixo, como Peru, Venezuela e Colômbia.

O contingente de analfabetos no Brasil acima de 15 anos, coloca o país no grupo considerado prioritário para a Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, Ciência e Cultura), que criou programa de metas de erradicação de analfabetismo até 2015.

O que podemos fazer para diminuir a taxa de analfabetismo no país?



Sinceramente, gostaria de ajudar , mesmo longe, fazer algo, vou visitar outros blogs e ver a ideia do pessoal e aderir a alguma que realmente seja boa.

Mas, persevero com o portugues, procurando saber mais errar menos, e cobro isto de meus filhos e neto, incentivo a leitura e conhecimentos gerais.

E quando tenho duvidas, tenho no desk top, o dicionario portugues online.




Esta blogagem e incentivo da Georgia do blog Saia justa

Colaboracao e apoio da Meiroca

abril 16, 2008

Coisas do Brasil



A Andrea Motta do blog Leio o mundo assim . . . , propoe esta blogagem coletiva para 16 de Maio.

Copiei o trecho abaixo do blog dela.

"O Brazil não conhece o Brasil
O Brasil nunca foi ao Brazil...

O Brazil não merece o Brasil
O Brazil tá matando o Brasil"

(Querelas do Brasil , música de Maurício Tapajós e Aldir Blanc, gravada por Elis Regina)

O nome Coisas do Brasil veio-me junto com a idéia de que há muito a ser discutido sobre a cultura brasileira e com os versos de Aldir Blanc :

"O Brazil tá matando o Brasil".

Daí surgiu a idéia da coletiva: há blogueiros em todos os cantos desse país.

E se cada um escrevesse um pouco sobre aquilo que é mais representativo de sua região ou de sua cidade?

E aqueles que foram embora do país, não poderiam falar sobre as cidades onde nasceram?

Não se pode esperar que o olhar estrangeiro veja a nossa cultura de modo adequado, pois sempre haverá distorções.

É esta, então, minha proposta: falarmos, em 16 de maio, sobre as coisas do Brasil.

Confirme sua participacao no blog Leio o mundo assim . . .

Meme da Mary



A Mary do "Blog da Mary", me ofereceu o selinho " Uma Mente Iluminada".

Obrigada Mary, tento muito iluminar minha mente, creio ainda estar engatinhando, mas fiquei contente com a lembranca.

Repasso para:

Rosa - Rosa147

Nao se acanhem em recusa-lo, nao fico chateada.

abril 15, 2008

A maior roda gigante do mundo



Singapore Flyer tem 165 metros de altura e 28 cabines do tamanho de um ônibus.Ingressos custam a partir de 29 dólares cingapurianos (cerca de R$ 35).

A maior roda-gigante do mundo, em Cingapura, foi aberta oficialmente para o público nesta terça-feira (15).

A Singapore Flyer tem 165 metros de altura e 28 cabines do tamanho de um ônibus, com capacidade para 28 pessoas cada.

A volta demora 30 minutos e permite não só ter uma visão de Cingapura, mas também de países vizinhos (Malásia e Indonésia) em dias claros.

Os ingressos custam de 29 dólares cingapurianos (cerca de R$ 35, para uma viagem simples) até 69 dólares cingapurianos (cerca de R$ 85), este com direito a bebidas e prioridade no embarque.

Portal da Globo


Admiro os corajosos, mas eu nao iria na roda nao.

abril 14, 2008

Geladeiras antigas



O governo brasileiro tem planos para estimular a troca de 10 milhões de geladeiras antigas por meio de um programa que será lançado ainda esse ano voltado para a população de baixa renda, afirmou hoje o ministro de Minas e Energia, Edison Lobão, no Rio de Janeiro, informa Reuters.

Segundo o ministro, a idéia é que o governo reduza ou elimine os impostos federais que incidem na produção do eletrodoméstico para facilitar a troca por equipamentos mais novos.

Segundo Lobão o consumo de uma geladeira antiga nas famílias de baixa renda representa cerca de 27% do gasto total de eletricidade.

O consumidor poderia dar a geladeira velha como entrada e o restante do valor seria financiado pela Caixa Econômica Federal.

Os detalhes do programa serão apresentados nos próximos dois meses e o lançamento deve ocorrer no segundo semestre.

Pravda

Raridade



A pequena Valentina é fruto de uma história de amor incomum.

A mãe, Maria Gabriela Andrade Damate, de 27 anos, é portadora da síndrome de Down.

O pai é Fábio Marcheti de Moraes, de 28 anos, que em razão de complicações no parto tem um atraso mental.

O nascimento saudável da menina, há 23 dias, ganhou registro na imprensa de todo o país. Só ainda não foi lavrado no livro das certidões do Cartório de Registro Civil da cidade de Socorro, a 135 quilômetros da capital.

O cartório recusou-se a registrar a criança no nome do pai, alegando que Fábio não consegue declarar a paternidade.

- Ele não sabe dizer o nome dele completo, nem onde mora - explicou uma funcionária do cartório, que se negou a dizer seu nome à reportagem do jornal Diário de S.Paulo.

Deste modo, Valentina deveria ser registrada apenas com o nome da mãe e com paternidade não declarada. Em seguida, a família deveria ingressar com uma ação de investigação de paternidade.

Segundo o professor, uma portadora da síndrome de Down tem 85% de chance de ter um filho saudável. Já os homens com síndrome são estéreis.

A gravidez de Gabriela foi descoberta aos seis meses. Mas antes mesmo de saber que Valentina viria ao mundo sem nenhuma deficiência, as duas famílias se apressaram em comemorar a chegada da bebê.

- Estávamos angustiados porque não imaginávamos que isso poderia acontecer. Mas depois decidimos que independentemente de como a Valentina viesse seria bem-vinda.

Agora, o único problema dela é ser mimada - diz Laurinda.

O Globo

Estou com visitas, e sem tempo para visitar meus amigos, mas a partir de Segunda a noite, estarei passeando na net.

abril 12, 2008

Lucian Freud



A modelo retratada no quadro do artista britânico Lucian Freud - que deve arrematar mais de R$ 56 milhões no mês que vem, tornando-se a mais cara obra de um artista vivo - ganhou 20 libras, cerca de R$ 66, por dia para posar nua.

No entanto, em entrevista à BBC, a londrina Sue Tilley, que na época trabalhava como fiscal de benefícios pagos pelo governo, disse que não era o dinheiro que a motivava, mas sim os "adoráveis almoços" e a convivência com o artista.

O trabalho executado em 1995, Supervisora de Benefícios Dormindo, pode se transformar na obra mais cara já vendida por um artista em vida quando for a leilão na Christie's de Nova York no mês que vem.

Tilley hoje trabalha como gerente de um centro de empregos do governo, brincou sobre o fato de ter se tornado uma espécie de celebridade.
"Mal posso acreditar, para ser sincera. Descobri apenas na quinta-feira à tarde. Estou um pouco em estado de choque", disse a gerente, conhecida como "Big Sue". 'Fazendo história'

Neste sábado, o retrato dela pintado por Freud foi estampado na capa do sisudo diário britânico Financial Times. Bem-humorada, Tilley brinca:
"Será que sou a primeira modelo nua na história do FT?

Ela afirma que na maior parte do tempo, "nem pensa que é ela" no retrato, mas admitiu que neste sábado, ao olhar para a obra pensou:
"Essa é mesmo a minha carinha."

Freud levou nove meses para completar a pintura, período em que a modelo teve acesso à intimidade do artista.
"Foi simplesmente fantástico. Sabe, tantas pessoas adorariam ter essa experiência, trabalhar com um artista tão importante, bater papo com ele, descobrir coisas sobre ele e ver o que ele faz", afirma Tilley.

Ela disse ainda que nessa época, o artista trabalhava em três ou quatro quadros ao mesmo tempo, com outras modelos.
Para mais notícias, visite o site da
BBC Brasil

Globo On line

Bolsa ditadura

abril 11, 2008

Ipe amarelo



Clique na imagem para visualiza-la melhor.

abril 10, 2008

Repelente caseiro contra a dengue



Divulgue esta receita para seus amigos e parentes.

(1 garrafa de álcool e 1 pacote de cravo da índia em infusão por algumas horas, torna-se um excelente repelente caseiro).

Antes de enviar, eu pesquisei no google, os pescadores há muito já conhecem esta mistura,usam sempre em suas noites de pescaria para evitar picadas de insetos.

Vamos divulgar uma prática barata e que pode salvar muitas vidas.

Recebi de um grupo do qual faco parte.

Toxicologia :

Não se deve exagerar no consumo do cravo.

Ele pode irritar a mucosa da boca.

Além disso, quem tem o estômago mais sensível também deve usá-lo com moderação.pode provocar contrações na musculatura do útero sendo, portanto, contra-indicado para gestantes.

o uso externo pode causar eventuais reações alérgicas em pessoas sensíveis.

Pesquisei Aqui

abril 09, 2008

Idol Gives Back

www.one.org

(ui ui ui, o Al Pacino tambem participa do video)

American Idol

http://www.americanidol.com/idolgivesback/where/,

Agora a noite (09.-4 - Fox), astro e estrelas juntos arrecadarao zilhoes para beneficiar organizacoes.

Este ano, serao beneficiados:

01 - Children's Defense Funds

http://www.childrensdefense.org/site/PageServer

02 - The Children's Health Fund

http://www.childrenshealthfund.org/

03 - The Global Fund - The Global Fund to Fight AIDS, Tuberculosis and Malaria

http://www.jointheglobalfund.org/

04 - Make It Right (help New Orleans

http://www.makeitrightnola.org/

05 - Malaria no more

http://www.malarianomore.org/

06 - Save the Children

http://www.savethechildren.org/

A Africa, sera beneficiada, vamos torcer para que estes $$ sejam aplicados diretamente em projetos, sem repasses.